ALOS – PRISM

O satélite ALOS (Advanced Land Observing Satellite) foi lançado em 24 de janeiro de 2006 pela Japan Aerospace Exploration Agency – JAXA, no centro espacial de Tanegashima (Japão) e entrou na fase operacional de fornecimento de dados ao público em 24 de outubro de 2006.

O programa japonês de observação da Terra consiste de duas séries: a de satélites utilizados principalmente para observação atmosférica e marinha, e a de satélites utilizados principalmente para observação terrestre. O ALOS apresenta avançada tecnologia de observação terrestre, sendo utilizado para cartografia, monitoramento de desastres e levantamento de recursos naturais.

O satélite deriva-se da tecnologia desenvolvida por seus antecessores, os satélites japoneses ADEOS e JERS-1. A ele foi incorporada características necessárias aos satélites modernos de alta resolução: a grande velocidade e capacidade de tratamento dos dados e a precisão avançada na determinação de seu posicionamento espacial, já que possui sistema de controle de órbita e altitude baseados em GPS de dupla freqüência.

O ALOS possui três instrumentos de sensoriamento remoto: o PRISM (Panchromatic Remote-sensing Instrument for Stereo Mapping) capaz de adquirir imagens tridimensionais da superfície terrestre, AVNIR-2 (Advanced Visible and Near Infrared Radiometer type 2) para cobertura  terrestre  precisa e o PALSAR (Phased Array type L-band Synthetic Aperture Radar) capaz de obter imagens diurnas e noturnas sem a interferência de nebulosidade.

ALOS - Especificações técnicas básicas
Informações de lançamentoData: 24/01/2006
ÓrbitaSol-síncrona e circular
Altitude691,65 Km
Duração de orbita98,7 minutos
Inclinação98,16°
Horário de passagem10:30 a.m
Período de revisita46 dias
SensoresPRISM, AVNIR-2 E PALSAR

O sensor PRISM opera na faixa de luz visível, com uma banda pancromática e resolução espacial de 2,5 m. Capaz de adquirir imagens para  gerar modelos digitais de superfície (MDS) com grande acurácia, ele possui três sistemas óticos independentes para visualização com as visadas nadir, dianteira (forward) e traseira (backward), produzindo imagens em estereoscopia ao longo da órbita.

Cada telescópio é composto por três espelhos e vários detectores CCD, sendo que o telescópio da visada no nadir recobre  uma faixa de 70 km, enquanto os outros dois recobrem uma faixa de 35 km cada. O PRISM fornece dados com alta acurácia (1 metro) para elaboração de modelos digitais de superfície e de levantamentos topográficos com escala de até 1:25.000.

Os telescópios forward e backward estão inclinados 24 e -24 do nadir, obtendo assim uma relação base/altura de 1.0, ideais para estereoscopia. Com isso, o campo de visão (FOV) do PRISM, é capaz de adquirir três imagens com total cobertura estereo (Triplet) cobrindo 35 km sem qualquer movimentação mecânica ou inclinação do satélite.

Características do sensor
Número de bandas1 (pancromática)
Comprimento de onda0.52 to 0.77 micrometros
Telescópios3 (Nadir; Forward; Backward)
Relação B/H1.0 (entre as visadas Forward e Backward)
Resolução espacial2.5 m (no Nadir)
Faixa imageada70 km (Nadir) / 35km (Triplet)
S/N>70
MTF>0.2
Número de detectores28000 / band (Swath Width 70km)
14000 / band (Swath Width 35km)
Ângulo de apontamento-1.5 à +1.5 graus (transversal)
Comprimento de bit8 bits

Obs.: O PRISM  não consegue imagear áreas além das latitudes 82 ° sul e norte.

Informações Comerciais