Governo dos EUA se esforça para reduzir os custos de Landsat.

30/01/2012 | Autor: | Categoria: GlobalGeo News

“Apesar do congresso ter aprovado 2 milhões de dólares para o Serviço Geológico dos EUA  (USGS) para o desenvolvimento do programa do Landsat 9, também foi pedido que a administração re-examinasse como proceder com as futuras missões do Landsat.” Declarou Jon Campbell, porta voz do USGS.

Campbell disse ainda que o “Office of Management and Budget”, o Serviço Geológico dos EUA (USGS), a NASA e o “National Oceanic and Atmospheric Administration formaram um time para descobrir todas as opções possíveis para as missões do Landsat, agregando performance,custo e risco.

O presidente do EUA, Brack Obama, requisitou 48 milhões de dólares para que o USGS possa pavimentar o caminho para o desenvolvimento do Landsat 9 e do Landsat 10, nave projetada para extender o programa de 40 anos do Landsat, promovendo imagens de média resolução para a agricultura global, o uso da terra e para desastres naturais.

O congresso negou o pedido, alegando o alto custo da nave. Eles aprovaram 2 milhões de dólares para o “programa único de desenvolvimento” do Landsat , e sugerir que as autoridades do governo buscassem por “opções com um custo menor para a obtenção de dados através do Landsat”
Embora o congresso tenha aprovado apenas 2 milhões dos 28 que foram requisitados para o Landsat 9, o fundo é bem vindo já que é um marco da primeira vez em que o

Congresso aprovou dinheiro para o Landsat além de dar continuidade à Missão de Dados Landsat, disse Curtis Woodcock, líder da equipe do “USGS Landsat Science Team” e professor da Universidade de Boston. “2 milhões de dólares não são suficientes para começar a construir o Landsat 9, mas é o suficiente para projetar requerimentos e fazer recomendações” disse Woodcock.

Saiba maiores detalhes a respeito AQUI.

Fonte: Geospatialworld.net

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Veja mais:

« »

Faça um comentário

Você dever estar logado para deixar um comentário. Caso não tenha um login, cadastre-se em nosso site.